Boletim de CEAJ

Boletim # 13

Steyl - Janeiro de 2011

SSpS / SVD / SSpSAP
 


 

          Os membros do Centro de Espiritualidade Arnaldo Janssen (CEAJ) em Steyl:
       Aneta Kolodziejczyk e Emmie Vaz SSpS,
       Renato Gnatta, Peter McHugh, Mike Somers e Peter Dusicka SVD
       saúdam-vos cordialmente, desejando-lhes as bênçãos de Deus para a vossa dedicação à animação espiritual neste novo ano de 2011.
  

 

       

NOSSO E-MAIL: ajscsteyl@gmail.com

 

 

O conteúdo desta newsletter:


1. 2011, um ano de esperança confiante - "Duc in Altum"
2. Dois novos co-directores: Aneta e Renato
3. Adeus a Peter McHugh e Mike Somers
4. Equipa dinâmica de animação espiritual  - Manter o fogo aceso
5. Workshop para retiros de 30 dias - segunda fase
6. Retrospectiva dos programas do  CEAJ
7. Algumas das actividades da equipa CEAJ
8. Notícias das províncias
9. Mantendo o contacto

 

 

 


 

 1.      2011, um ano de esperança confiante - "Duc in Altum"
 
O ano de 2011 será importante para a equipa principal do CEAJ em Steyl devido a várias mudanças. Dois novos co-directores, Aneta e Renato, tomaram posse e deixaram a equipa duas mãos experientes, Peter McHugh e Mike Somers… Na reunião de Dezembro de 2010, na nossa planificação semestral, tomámos o texto de Lucas 5,1-11, "Duc in altum" - "Lançai as redes em águas profundas." Isto é altamente relevante para a nossa equipa principal já que nós entramos numa nova fase do nosso ministério de animação espiritual. Mas não é justamente a composição da equipa que faz a diferença. As duas direcções-gerais, em consulta com outros, estiveram reflectindo sobre o futuro desenvolvimento do CEAJ. No dia 17 de Janeiro, Aneta e Renato participarão em Roma numa reunião conjunta dos dois Conselhos Gerais para concretizarem o caminho a seguir. No próximo boletim, vamos partilhar o resultado dessa reflexão. 
 

2.      Dois novos co-directores: Aneta e Renato

 

Após consulta com os membros da equipa central, os dois conselhos gerais nomearam a irmã Kolodziejczyk Aneta SSpS e o P. Renato Gnatta SVD como co-directores do CEAJ para o próximo triénio. Assumirão este cargo a partir do dia 1 de Janeiro.
A irmã Aneta Kolodziejczyk vem da Polónia. Após terminar os seus estudos em psicologia, em Roma, dedicou os últimos quinze anos directamente na formação, acompanhando vários grupos de irmãs juniores na preparação para os votos perpétuos, e durante seis anos foi mestra de noviças. Em 1998/99 e 2007/08 trabalhou no Curso Internacional para Formadores nas Filipinas, acompanhado as participantes nas sessões de crescimento espiritual. Sem dúvida, que a sua experiência internacional neste campo, muito a ajudará nesta tarefa para servir a família de Arnaldo Janssen.
O P. Renato Gnatta nasceu no Brasil. Entrou para a Congregação do Verbo Divino com 22 anos de idade e foi ordenado sacerdote em 1991. Recebeu destino para o Gana, onde teve o seu primeiro contacto com uma nova língua e uma nova cultura. Após cinco anos, regressou ao Brasil e trabalhou durante três anos na animação vocacional como mestre de noviços. Nessa época, fez vários cursos de espiritualidade e aos fins-de-semana atendia pastoralmente a população pobre rural. Está muito animado com a nova actividade na formação permanente, tal como ele mesmo disse: "Acredito que só aprofundando a nossa espiritualidade seremos capazes de realizar a missão como fizeram os fundadores".

 

"Partner Lidership" é o termo que usamos para descrever a nossa forma partilhada da gestão do CEAJ. Desde a sua criação, o CEAJ foi visto como uma aventura conjunta das três congregações. Para viver este ideal foi desenvolvida uma administração conjunta, ou seja, com dois co-directores, um director e um assistente. No começo, os conselhos gerais viram o nosso pedido um tanto ou quanto insólito, pois até ali não havia nenhum modelo de gestão, como esse, nas nossas congregações. Além disso, "a quem devíamos dirigir as nossas cartas?" Mas os conselhos mostraram-se abertos e desde então seguimos sempre este modelo. Para nós este ponto é muito importante. O nosso modo no CEAJ é o de colaborar juntos, mulheres e homens, Servas e Verbitas (SSpS / SVD). As bases desta colaboração são os princípios de igualdade e complementaridade. Nos nossos programas do CEAJ falamos sobre estes princípios, e esta é uma maneira de viver o que pregamos! 
  
3. Adeus a Peter McHugh e a Mike Somers

 

O P. Peter está em Steyl desde Janeiro de 1996. "Durante esse tempo," disse ele, "Trabalhei com uma equipa de poucos membros. Para mim, pessoalmente, foi um tempo positivo e muito enriquecedor. Viver e trabalhar em equipa mista de homens e mulheres (SVD / SSpS) foi uma experiência particularmente rica. É claro que havia muito trabalho de rotina, mas geralmente senti que o encontro com novos grupos, o criar e melhorar os programas, foi um desafio estimulante em que aprendi muito. Cheguei a um maior e melhor conhecimento e a uma maior admiração da nossa geração fundadora, com todas as suas falhas e deficiências”. O P. Peter irá para Nemi.

 

O P. Mike é da Irlanda e passou muitos anos no Equador. Há nove anos chegou a Steyl após ter terminado o cargo de provincial no Equador. Os anos no Equador favoreceram o falar bem o castelhano e a conhecer a realidade da América Latina. Mike vai agora tirar um ano sabático antes de assumir um novo compromisso.

 

Agradecemos ao Peter e ao Mike pelos seus serviços na equipa e pedimos a bênção de Deus para os seus trabalhos futuros. A partir de Janeiro de 2011, os membros da equipa do CEAJ em Steyl são: Aneta, Renato, Emmie e Peter Dusicka. Em Maio de 2011, junta-se à equipa a Irmã Celestina Tangan das Filipinas.

 

4. Equipa dinâmica de animação espiritual - Manter o fogo aceso

 

No relatório sobre as actividades da nossa equipa encontrarão que, para além dos retiros, a equipa orientou em cinco países encontros especiais para preparar os novos membros e revitalizar os antigos membros da Equipa de Animação Espiritual da província. A “EAE" pode ser um factor chave na animação espiritual da província / região, agindo sempre com entusiasmo e criatividade. Mas a experiência mostra que não é fácil para esta equipa manter o fervor original por muito tempo. Ou porque os seus membros são designados para outras tarefas, ou porque alguns perdem o interesse, etc. É uma tarefa que precisa de atenção constante. Então, uma das prioridades da CEAJ é ajudar as províncias a criarem uma equipa de animação e que funcione bem, respondendo às necessidades da província na área da animação espiritual. Como está essa equipa na sua província? Sente-se interesse em criá-la ou em revigorá-la? Pedimos-lhe que nos informe e nós podemos elaborar um programa. 

5. Encontros – Workshops para guias de retiro de 30 dias - segunda fase

 

A Informação CEAJ n º 13 contém informações sobre o workshop. Os dois conselhos gerais trataram disso na sua reunião do passado mês de Julho. A sua resposta foi muito positiva e encorajadora, por isso pediram ao CEAJ para "tentar organizar um workshop similar para os membros de língua espanhola e portuguesa". Já demos os primeiros passos. Também foi pedido para ver como os participantes aplicaram nas suas províncias respectivas essa experiência do workshop. Todas as respostas dizem que foi uma experiência enriquecedora a nível pessoal, quase todos indicaram que os participantes deram retiros personalizados, em geral e que trabalharam de uma maneira geral em equipa com os membros da animação espiritual. Na sua maioria foram retiros curtos (6-8 dias), mas um bom número orientou retiros de um mês completo (30 dias). Estamos satisfeitos com este resultado positivo. O espírito das respostas está reflectido na expressão da Irmã Christine Edith: "Tenho alegria em caminhar com os participantes desses retiros… porque o fogo de Steyl continua a arder em mim”.
Encorajamos outras províncias e regiões a oferecerem aos seus membros a oportunidade de fazer um retiro pessoal orientado, e assegurem que lhes seja possível, sobretudo, um retiro de 30 dias. O manual SVD para superiores recomenda-o (B4, 1,3.). Os membros do CEAJ ficariam felizes de poder colaborar. Basta que nos avisem e chegaremos a um acordo.
 
6. Opinião sobre os programas do CEAJ

 

Muitos dos participantes depois de finalizarem qualquer um dos nossos programas deu-nos uma opinião oral. Dois participantes de Taiwan decidiram fazê-lo de uma maneira mais extensa. Aqui reproduzimos uma versão curta de seus comentários.ui reproduzimos uma versão mais. s s membros da  Mike Somers orientou um workshop para 17 Verbitas e Servas, e um retiro para 55. O workshop estava destinado tanto para os novos como para os antigos membros da equipa de animação espiritual de Taiwan e Hong Kong, e para os formadores.
 
                                                                                                    A.  Regresso a casa

                                                                                                                                          Dominic SVD 
                                                                                      
A recordação do retiro do CEAJ continua na minha mente, com os seus inesquecíveis dias passados com 55 irmãos e irmãs da família de Arnaldo. Essa experiência foi      para mim um regresso a casa, um regresso há muito aguardado. Desde que entrei, sempre me senti filho da província da China. No entanto, a chegada a Taiwan foi a minha primeira visita ao centro da minha província, depois de passar 13 anos na família de Arnaldo! Fui calorosamente recebido por onde quer que passasse e em todos os lugares me acolheram como um da família.
Mas um verdadeiro regresso a casa não é apenas uma questão de lugar, mas sim de pessoas. O retiro do CEAJ foi para mim precisamente neste sentido um regresso a casa. Um dos sonhos mais ousados do meu mestre de noviços era que os filhos e filhas de Arnaldo não só trabalhassem juntos, mas também vivessem juntos numa comunidade. Quando andava no liceu e era aspirante a SVD na China, a minha primeira impressão foi que o Verbo Divino e as Servas pareciam uma família, embora não vivessem numa comunidade, partilhavam muitos acontecimentos importantes tais como: decisões tomadas de comum acordo para as celebrações litúrgicas, festas desfrutadas com alegre regozijo que dispunha o coração para aguentar tempos difíceis. Para alguém "do exterior” como eu era, eles realmente viviam como uma família.
Eu supunha que as Servas e os SVD e viviam assim em todo o lado. Aos poucos, percebi que nem sempre era assim. Então cheguei a estimar o valor da minha experiência inicial em relação à família de Arnaldo. Este retiro deu-me a oportunidade de voltar a essa casa há muito esquecida; fui capaz de reviver essa bela recordação guardada no fundo do meu coração. Unidos estivemos rezando e adorando; unidos orientámos a liturgia, partilhámos a mesa, lavámos a loiça enquanto os mosquitos nos cercavam com o seu zumbido. Que mais poderíamos chamar a isso, senão "família"? Poeticamente, estava vendo as filhas e filhos de Arnaldo jogando com graça nos campos do Senhor!
Mas este regresso a casa não foi só para mim. Ele foi também um regresso à casa da geração fundadora, a nossa vocação primogénita. Segundo ressonâncias de muitos, falta uma adequada apreciação do nosso fundador. Comummente, Arnaldo é conhecido como um resistente trabalhador alemão, de vontade férrea (ou teimosia?), de rosto severo. Sabíamos que era um santo. Mas não sabemos como amar e apreciar este homem, nosso pai comum que nos congregou para que unidos formássemos uma só família - quando conseguimos fazê-lo facilmente com Freinademetz, María Helena e Josefa.
Sob a orientação do Mike, o retiro fez-nos reviver a história de Arnaldo. Na verdade, nós descobrimos (ou redescobrimos) muitas características brilhantes deste homem: o seu amor a Deus Uno e Trino, em particular ao Verbo Divino, a sua vida de oração, a sua capacidade para discernir os sinais dos tempos e os seus muitos projectos inovadores. Pessoalmente, fiquei profundamente tocado pela transformação que se deu ao longo da sua vida, de modo que mesmo o seu rosto severo de matemático se tornou o rosto sorridente de um avô. "As fraquezas nos santos tornam-nos mais compreensíveis para o povo", quando Arnaldo disse essas palavras, ele nunca imaginava que um dia também seriam válidas para ele.
Na espiritualidade da geração fundadora, o regressar a casa é realmente um voltar às raízes da própria fé; é o voltar a pisar terreno sagrado onde pela primeira vez encontrámos Deus. Cada retiro deve ser um regresso a casa, na qual o filho pródigo se reúne com o pai para se sentir acariciado e amado por ele. Este tempo de retiro foi especialmente assim por tê-lo feito junto com outras irmãs e irmãos, acompanhados pelos nossos santos e nossos pais e mães fundadores.

 
 
                                                                                    B. Uma experiência vivificante na nossa espiritualidade de Arnaldo
                                                                                                                                                                                   Leonora Sudhoff SSpS
 
Para alguns foi uma surpresa a forma como se desenvolveu o retiro. Não da maneira tradicional, no qual se ouve falar o mestre do retiro expondo conceitos e ideias sobre a vida religiosa. Não. Aqui, fomos confrontados com a personalidade e a vida de nosso fundador S. Arnaldo, e a vida e o processo de mudança em S. José Freinademetz, e o longo caminho percorrido pelas nossas mães até chegarem à realização dos seus anseios. Aqui aprendemos a conhecê-los de uma maneira que até agora era desconhecida.
Arnaldo era realmente um de nós, um homem comum com fraquezas e limitações. Para a maioria das pessoas, tais limitações são um obstáculo para aspirar a coisas maiores, mas “Arnaldo permitiu ser vulnerável, ser indefeso e expôs-se à possibilidade do ridículo e do fracasso, ser despojado do orgulho pessoal, ser ferido, rejeitado e incompreendido. Esvaziou-se”. Foi um homem de oração, confiava que o poder de Deus trabalharia através de suas fraquezas. “Ele achou que só a confiança inabalável e entrega total nas mãos de Deus poderia tornar realidade o sonho impossível”. Neste workshop constatamos que trabalhador incansável foi Arnaldo. Com uma grande atenção dada a cada detalhe, fundou três congregações, construiu numerosos edifícios, abriu novas missões. É realmente surpreendente.
Outro ponto de atenção para o grupo foi também o processo de mudança que atravessou José Freinademetz. O seu bispo chamou-o de “pérola de Brixen”, no entanto, teve que aprender que viver num outro grupo cultural exige humildade e abnegação, exige a capacidade de olhar com olhos de amor. José viveu este desafio até chegar a ser um chinês entre os chineses.
O nosso diálogo não se limitou à geração fundadora. O P. Mike partilhou connosco as peripécias que ele passou no Equador como um jovem missionário e durante o workshop, os padres e irmãs partilharam em pequenos grupos história da sua própria vocação.
A vida foi o tema central do retiro, a vida de nossa geração fundadora e vida entre nós aqui e agora. O nosso último Capítulo Geral convidou-nos a promover a solidariedade e a fomentar relações geradoras de vida. Assim, membros de duas congregações internacionais, homens e mulheres de diferentes nacionalidades e culturas, estávamos morando juntos e partilhando com espírito de respeito mútuo, amor e aceitação. Durante as deliberações do workshop cada qual era ouvido e a sua contribuição valorizada. A liturgia expressou a criatividade do grupo e incentivou o contributo pessoal.
Esta experiência levou-nos a compreender melhor e apreciar mais profundamente o fundador e o P. Freinademetz, como talvez aconteceu antes, com as irmãs no que respeita à madre Maria e Josefa. Também nos fez apreciar mais profundamente a nossa herança espiritual e a vida em comunidades internacionais e interculturais. Nestes tempos de crescente mobilidade dos povos, não é um sinal profético que membros de diferentes nações e culturas cheguem a viver pacificamente unidos? Apesar de, infelizmente, nem sempre ser assim.
O retiro foi uma experiência desse legado recebido da nossa geração fundadora. A maneira como Verbitas e Servas viveram, rezaram e trabalharam juntos como uma família é algo que pode acontecer em qualquer congregação religiosa. Ficamos maravilhados com a sua visão que S. Arnaldo teve ao fundar as nossas congregações. Uma visão cuja importância aumenta à medida que o tempo passa. O desafio de respeitar a dignidade de toda a pessoa humana cresce quando constatamos que somos todos habitantes da mesma aldeia global. A experiência destas duas semanas tornou-nos agradecidos e orgulhosos da nossa geração fundadora e da herança espiritual que nos deixaram.  


7. Algumas das actividades da equipa do CEAJ

 

Terminada a nossa reunião de planificação em Junho, Aneta e Mike partiram rumo ao Gana, onde deram três retiros e um workshop, incorporando e reanimando membros da Equipa de Animação Espiritual. O Mike orientou workshps semelhantes no Japão, Hong Kong e Taiwan. Em Julho, Emmie e Peter Mc Hugh realizaram actividades semelhantes no Extremo Oriente. Foi comovente experimentar o optimismo dos nossos irmãos e irmãs, apesar da contínua situação adversa. Aneta integra com a irmã Judith (Roma), a equipa orientadora de um seminário sobre liderança para as SSpS na Assembleia de Provinciais da Europa.
A experiência da Aneta em Inglaterra foi insólita. O que originalmente tinha sido planeado como um seminário para a Associação do Espírito Santo da Grã-Bretanha / Irlanda, terminou com a sugestão do pároco por ser um retiro paroquial. Este retiro foi tão popular que os participantes pediram ao sacerdote para organizar um retiro semelhante para o próximo ano. As pessoas valorizaram o silêncio da oração contemplativa.
No Terciado Espanhol-Português, em Steyl, com 22 participantes,  Renato e Emmie orientaram a sessão de espiritualidade. Em Julho e Agosto, Renato acompanhou o retiro de 30 dias para os noviços SVD no Brasil e, ao mesmo tempo, introduziu o seu sucessor como mestre de noviços. Após um intervalo de dois anos devido à reconstrução em Nemi, o Terciado SVD passou três semanas em  Steyl antes de prosseguir para Nemi. Havia 26 SVD e um sacerdote diocesano da Malásia. Nos meses de Setembro e Outubro, Renato e Peter Dusicka dedicaram-se ao estudo da língua alemã. Mike completou o seu serviço no CEAJ com retiros e conferências em seis conventos das Irmãs da Adoração Perpétua, nas Filipinas. 
  
8. Notícias das províncias

 

No dia 1 de Janeiro a Missa foi transmitida a partir da igreja de S. Miguel de Steyl para todo o mundo através dos programas da rádio alemã e da Deutsche Welle. Muitos irmãos e irmãs em vários países tiveram a possibilidade de a ouvir. No final da Missa, o reitor de S. Miguel, Manfred Krause, inaugurou também a nossa capela cibernética de Steyl. O objectivo é criar uma comunidade de oração, que oferece às pessoas a oportunidade de apresentarem as suas intenções e também juntar-se às intenções dos outros. O P. Krause explicou que Arnaldo Janssen foi um pioneiro no uso dos meios de comunicação. Ele chegou a dizer: “Se alguém quiser fazer um bem, tem que esforçar-se por convencer as pessoas a usarem todos os meios à sua disposição”. De um modo semelhante queremos usar a internet para convidar pessoas de todo o mundo a formar uma comunidade orante. Então agora pedimos a bênção de Deus para a nossa cyber-capela que oferece às pessoas a oportunidade de acender uma vela e enviar intenções pelas quais rezaremos de um modo especial aqui em Steyl.
                                                                                 O acesso a esta  apela é através do seguinte endereço:
                                                                  www.onlinechapel-steyl.de
 ou www.onlinekapelle.de 
                                                                  ou o endereço de nosso sítio: www.steyl.eu

 

Gregory Arockiam, SVD, coordenador nacional do CEAJ na Índia, informa acerca de vários retiros e encontros realizados pela equipa. Com a participação de 69 seminaristas SVD realizaram um retiro baseado na geração fundadora e na nossa espiritualidade religiosa e missionária. Três membros desta equipa participaram do workshop em Steyl. Junto com Gregory orientaram um retiro de 30 dias para os participantes do terciado SSpS usando o modelo desenvolvido durante o workshop. O Secretariado Arnaldo Janssen de Pune continua o seu serviço partilhando material. O seu email é: gregarockiam@yahoo.com
 
9. Mantendo o contacto  

 

Você pode fazer upload ou download do material do CEAJ Folder que se encontra na página Web da SVD: http://www.svdcuria.org com um clique no mapa do sítio, clique em CEAJ. As irmãs podem aceder ao mesmo indo à página Web SSpS: www.worldssps.org
 
Se tiver material (artigos ou módulos de programa) que poderiam ser utilizadas para o trabalho de Animação Espiritual, pedimos o favor de enviá-los pelo correio ou Internet, para que outras pessoas tenham acesso a eles. Envie este material e também notícias de sua província ou área da animação, usando o seguinte endereço: ajscsteyl@gmail.com

 

Desejando-lhe a bênção de Deus, esperamos notícia suas.
Com os melhores votos para os seus trabalhos, 
  
 

 

Aneta, Emmie, Renato, Pedro McH., Mike & Peter D.
  

A newsletter é enviada CEAJ em cinco idiomas: Inglês, Alemão, Espanhol, Português e Indonésio.